Reunião aberta em solidariedade ao povo palestino em São Paulo

0
0
0
s2sdefault

Imagem relacionada
Ao longo dos últimos 70 anos, palestinos e palestinas têm resistido à limpeza étnica, ocupação, apartheid e colonização israelenses. Com a cumplicidade internacional e movimentando uma lucrativa indústria da injustiça, Israel segue perpetrando violações ao direito internacional e aos direitos humanos do povo palestino, ao mesmo tempo em que exporta essas tecnologias e discursos ao mundo todo: do muro dos EUA no México, aos blindados da Polícia Militar de São Paulo.

No entanto, milhares de organizações, movimentos e indivíduos de consciência ao redor do planeta têm escutado o chamado do povo palestino por solidariedade efetiva através de boicotes, desinvestimento e sanções (BDS). Não à toa, Israel tem feito de tudo para barrar e criminalizar o movimento BDS.

Através de campanhas que buscam romper os vínculos de cumplicidade institucional - econômica, política, militar, cultural e acadêmica - com as violações israelenses, o movimento BDS busca pressionar Israel a respeitar o direito de retorno das refugiadas e refugiados palestinos, terminar com a ocupação da Cisjordânia e Faixa de Gaza, e pôr fim ao regime de discriminação institucional contra as palestinas e palestinos que vivem dentro de Israel.

Podemos divergir sobre muitos aspectos da política brasileira e internacional, mas mais do que nunca devemos atuar em unidade ao redor do chamado palestino por solidariedade. Escutar o povo palestino é o primeiro passo para uma solidariedade internacional efetiva; o segundo é conectar nossas lutas; e o terceiro: nos organizar!

Por isso, convidamos a todas e todos, indivíduos e organizações, a participarem de uma plenária aberta para elaborarmos ações conjuntas e articular um calendário de atividades e campanhas para 2018, escutando o chamado palestino por BDS.

A reunião é aberta a todas e todos que simpatizam com a luta por justiça, igualdade e liberdade do povo palestino e pretendem construir articulações em unidade ao redor do BDS. Mas atenção: racismo, machismo, LGBTfobia, islamofobia, antissemitismo e qualquer forma de discriminação e opressão não têm espaço em nosso encontro!

Informações:

Local: Sindicato dos Engenheiros de São Paulo.
Endereço: Rua Genebra, 25 (ao lado da Câmara Municipal)
Dia e horário: 22 de janeiro, 19h:30m.

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados