Fórum Popular de Saúde faz protestos nas ruas de São Paulo contra a PEC 55

0
0
0
s2sdefault

 

 

 

 

Nesta quinta-feira, 8, o Fórum Popular de Saúde, SINSPREV (sindicato dos previdenciários, saúde estadual e ANVISA), Primeira Oposição (trabalhadores estaduais da saúde), Unidade Classista, POEMA (Política Econômica da Maioria) e outros movimentos ocuparam as ruas da cidade de São Paulo para protestar contra o congelamento de gastos públicos, inclusive na área da saúde, que será votado em segundo turno pelo Senado federal. Nas ruas, uma mistura de pessoas jovens e pessoas mais velhas com muita disposição para protestar.

 

O protesto combinou formas de confronto. No começo do ato um microfone foi aberto bem na frente da Secretaria Estadual da Saúde, no quarteirão do Hospital das Clínicas. Foram diversas falas a denunciar tanto a situação de descaso com a saúde quanto esta PEC 55, orquestrada por uma junta financeira que governa o país, irá prejudicar o SUS e a saúde dos mais pobres.

 

Por volta das 18h30, a rua foi tomada pelos manifestantes que caminharam gritando palavras de ordem como “a nossa luta é todo dia, nossa saúde não é mercadoria”. A faixa da frente do protesto tinha escrito em letras garrafais “Pelo SUS e Contra a PEC 55”

 

Após um jogral os manifestantes decidiram caminhar até a Avenida Paulista para encontrar o protesto organizado pelo movimento feminista que tinha a chamada “Chega de morte de mulheres – congresso tire a mão do nosso corpo”. O encontro das lutas nas ruas foi um momento emocionante para os manifestantes, que se misturaram ao som da palavra de ordem “Fora Temer”

 

alt

(Foto do momento do encontro dos protestos na esquina da Avenida Paulista com a Rua Augusta)

 

O Fórum Popular de Saúde que reúne usuários do SUS, trabalhadores, estudantes e outros movimentos, tem núcleos em diversas regiões da cidade e vai continuar ocupando as ruas defendendo uma saúde pública, estatal e de qualidade. Sua próxima reunião é dia 15 de dezembro às 19h na Rua Antônio de Godói, 88 – 2 andar.

 

O POEMA convidou os participantes do protesto para a manifestação que acontecerá no dia 13 de dezembro, também contra a PEC 55. A chamada do protesto é: “nenhum direito a menos – que os ricos paguem pela crise”.

 

Leia também:


“Renan Calheiros é retrato profundo da crise institucional do país”

 

O que temer na contrarreforma trabalhista?

 

“Temer terá muita dificuldade para concluir seu mandato e o cenário para os próximos anos é sombrio”

 

A esquerda abandonou o discurso contra a corrupção?

 

Paulo Spina é membro do Fórum Popular da Saúde e funcionário do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS).

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados