0
0
0
s2sdefault

altA representação do MP ao Ibama tinha, realmente, argumentos suficientes para provar que vários empreendimentos planejados numa mesma bacia hidrográfica, como o Complexo Hidrelétrico do rio Teles Pires, não poderiam ser licenciados isoladamente.

0
0
0
s2sdefault

altOs projetos de implantação de hidrelétricas nas bacias do rio Tapajós, Teles Pires e Juruena por si só estão induzindo a ocupação de áreas protegidas da Amazônia. Explorar Cuiú Cuiú (província mineral do Tapajós) é apenas a ponta do iceberg .

0
0
0
s2sdefault

altComo disse, nesta semana, o Desembargador Souza Prudente, depois de mais um voto brilhante que parou Belo Monte: "a consulta não pode ser póstuma" . A justiça mandou parar Belo Monte. A hora da verdade chegou.

0
0
0
s2sdefault

altLógico que o Brasil pretende elucubrar a sua própria "economia verde” pós Rio+20 e, ao que tudo indica, no que tange a energia elétrica, deverá ser escorada em hidrelétricas, combustíveis fósseis, exploração do pré-sal, em metas pífias de conservação e eficiência energética.

0
0
0
s2sdefault

altA retrospectiva que eu queria não será possível fazer neste final do ano de 2012, e até acredito que, com o andar dessa carruagem chamada Brasil, em nenhum ano até 2200! Muitos vão se alegrar, pois, com este artigo, encerro meu ativismo socioambiental. Feliz 2013!

 

0
0
0
s2sdefault

altComo se viabiliza a maior exploração de ouro da história da Amazônia, aproveitando a implantação de empreendimentos hidrelétricos. Isso já está acontecendo no Xingu.

0
0
0
s2sdefault

altBastidores é uma série de artigos que não tem prazo de encerramento e vai evoluir para contar ao público como enfiaram Belo Monte e outras hidrelétricas goela abaixo da sociedade.

0
0
0
s2sdefault

altBom exemplo seria apresentar uma análise mais abrangente das alternativas genuinamente limpas de complemento às hidrelétricas. Incentivos à pesquisa para as energias alternativas também. A conferência talvez não fracassasse.

0
0
0
s2sdefault

altO Plano Decenal de Expansão de Energia 2021 é elaborado apenas por empresas, instituições, associações e autoridades do governo do setor elétrico. Não é de espantar que as projeções que dele constam sejam pródigas em pontificar a necessidade de projetos hidrelétricos.

0
0
0
s2sdefault

altDesviar as águas do rio Xingu durante as obras de instalação de Belo Monte e depois, na fase de operação, inviabilizará definitivamente o direito de ir e vir das comunidades. O rio é a via que liga a Volta Grande ao resto do mundo.

0
0
0
s2sdefault

altEmbora a Avaliação Ambiental Integrada (AAI) e os estudos de Viabilidade Técnica e Econômica (EVTE) ainda não estejam concluídos, os processos de licenciamento ambiental das usinas já tramitam céleres no Ibama.

 

0
0
0
s2sdefault

altPara onde vai uma boa parte de toda essa energia que o governo planeja gerar? Não parece ser para suprir os rincões miseráveis isolados, ou para diminuir a desigualdade.