80 anos sem Noel Rosa

0
0
0
s2sdefault

No dia 4 de maio de 1937, falecia, aos 26 anos, Noel Rosa, um dos gênios da música popular brasileira. O Poeta da Vila foi fundamental para a popularização e capilarização do samba e sua influência é verificada em outros grandes artistas e compositores, como Chico Buarque e Paulinho da Viola.

Noel foi um grande cronista e suas músicas continuam atuais, pra nossa infelicidade em muitos casos. Ele falou de corrupção (em Onde Está a Honestidade?), dores de amor (como em Último Desejo), flertou (como em Três Apitos), entrou na disputa entre os sambistas da cidade exaltando a Vila Isabel (como na polêmica com Wilson Batista), tudo isso com muita ironia (o melhor exemplo de sua ironia é sua relação com o taxista Malhado, que gerou a música Saí da Tua Alcova).

Por sua importância, Noel já foi reverenciado muitas e muitas vezes. Há 80 anos, data de sua morte, ele foi homenageado de várias formas. E elas continuaram ao longo dos tempos. Por isso, listamos algumas dessas homenagens por aqui, em músicas, livros, filmes e no carnaval, que aconteceram em distintos períodos:

1- Música "Capital do Samba", de Zé Ramos:
“Da cidade alta da Mangueira
Avisto a Vila,
Sinto saudades de alguém…”

Após a construção da UERJ, não é mais possível ver a Vila Isabel lá do morro de Mangueira. Mas, na época de Noel, isso era possível. O samba de Zé Ramos mostra como Noel tinha trânsito com os sambistas do morro da Estação Primeira.  

2- Música "A Vila Emudeceu", de Cartola:

"A Vila emudeceu
Dolorosamente chora
O que perdeu
Ninguém é imortal"

Cartola e Noel Rosa foram contemporâneos e chegaram a compor uma música juntos ("Rir"). E a amizade deles é lembrada nesse lindo samba do poeta mangueirense.

3- Enredo da Unidos de Vila Isabel, em 2010:

No centenário de nascimento de Noel Rosa, ele foi enredo da Unidos de Vila Isabel, escola que representa o bairro que ele tanto exaltou. Apesar de vários problemas no desfile, a escola disputou o título, embalada por um belo samba-enredo de Martinho da Vila.

4- "Noel Rosa, uma biografia", de João Máximo e Carlos Didier: o livro, lançado em 1990, é  uma referência para o estudo da vida de Noel e também de todo o universo que envolveu o surgimento do samba no Rio de Janeiro.

5- Filme "Noel, Poeta da Vila":

Dirigido por Ricardo van Steen, o filme, de 2006, conta com a participação de Camila Pitanga e Wilson das Neves. Para quem não puder ler o livro, é uma boa opção para conhecer um pouco da vida de nosso homenageado.

6- "Conversas de Botequim", livro organizado por Marcelo Moutinho e Henrique Rodrigues:

A última homenagem citada aqui é também a mais recente: com lançamento marcado para hoje, o livro da editora Mórula reúne 20 crônicas sobre músicas de Noel e conta com textos de Aldir Blanc, Nei Lopes, Manuela Oiticica e outros craques.

Se você já conhece e admira Noel, relembre sua trajetória com essas obras. E, se você, infelizmente, ainda mal sabe quem ele é, aproveite o dia de hoje para conhecê-lo.

 

Bernardo Pilotto é sociólogo formado pela UFPR e apaixonado pelo samba.

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados