Edição 1001

  • Precisamos construir outro projeto de país, longe dos governistas

    altSeu discurso não deixou de ter um aspecto bem patético ao assumir que recebeu favores, que iria em outras mansões se convidado... Não estamos diante de um governo que enfrentou o capital financeiro, as multinacionais, o imperialismo, expandiu direitos, avançou na reforma agrária e por isso enfrenta a ira do Capital e da direita.

     

  • Campanha da Fraternidade 2016 e sustentabilidade (1)

    altO discurso da sustentabilidade ou do desenvolvimento sustentável é apresentado como a solução para todos os problemas. Cuidado! Pode ser uma armadilha.

     

  • “A Operação Lava Jato ainda não deixou claro se tem intenções republicanas ou políticas”

    altDando sequência ao intenso debate que permeia todo o Brasil, o Correio entrevistou Pablo Ortellado, filósofo e pesquisador identificado com os chamados movimentos de novo tipo e que fez uma profunda análise da crise que varre a República.

     

  • Precisamos de heróis?

    altNeste cenário as ruas não têm mais a alegria de 2013 com as pessoas lutando lado a lado, com movimentos horizontais e direções que negam a si mesma recusando qualquer heroísmo. Têm palanques e carros de som, discursos de ódio e repetições de clichês heroicos que protegem financiadores de campanha.

  • A jararaca, Lula e D. Darcy

    altA própria CNBB, oficialmente, tem se colocado em defesa da democracia, contra os golpes e no combate à corrupção venha de onde vier. Para um bom entendedor, uma minhoca basta.

     

  • Ser mulher favelada é resistir dia a dia!

    altGritamos contra todas as formas de opressões há mais de cem anos, desde que favela é favela. Lembre que a gente nunca dormiu no ponto, não temos esta escolha, não dá, não podemos, não temos tempo.

  • Por que Lula não foi preso

    altQual a capacidade real de mobilização do PT e de seus movimentos? A Lava Jato agora dispõe de informações suficientes para planejar sobre a forma e o momento mais adequado para a prisão provisória ou preventiva de Lula.

     

  • O desafio das esquerdas começa por sair da “venezuelização” que se apresenta

    altAs recorrentes comparações com Vargas e Jango para sinalizar o receio de um golpe que não virá, pois já foi dado pelo próprio PT, mostram que a “venezuelização” é a última cartada do PT, em especial de Lula.

     

  • Demonstrar disposição de luta

    altNão basta admitir que houve erros. É preciso fazer uma demonstração pública de que o PT está decidido a cortar na carne, excluir do partido os que cometeram tais erros, e constituir um órgão específico para investigar e punir os que cometerem erros idênticos no futuro.

     

  • Saneamento e a escassez qualitativa da água

    altOnde está nosso problema? Exatamente na abundância, nos ensinava o já falecido professor Aldo Rebouças. Ela nos tornou perdulários e, junto com a cultura predadora construída desde a fundação do Brasil, passamos a maltratar nossas águas.

  • Trump não é o pior

    altTalvez em mais um ou outro ponto secundário Cruz e Rubio concordem com Trump. No fundamental, são inimigos de morte. Os dois descendentes de cubanos defendem uma expansão da política imperial norte-americana e fortalecimento do país como único líder mundial.

     

  • O golpe permanente

    altTem feito parte dessa cascata de consequências deletérias do modelo, implantado desde 1954, debilitar as Forças Armadas, abaixar a qualidade cultural, o grau de identificação das pessoas com a nação, o nível da educação em todos os graus e, finalmente, o êxodo, por falta de oportunidades de trabalho, de residentes qualificados.

     

  • Lula coagido a depor

    altQuando o sindicalista Lula foi preso, em abril de 1980, eu estava na casa dele. Um fato preocupa: o PT jamais julgou a conduta ética de seus militantes acusados pela Lava Jato. Nem os absolveu, nem os condenou. Calou-se. E quem cala consente.

  • Cuba e as religiões

    altO fato de Cuba ter sediado o surpreendente e inesperado encontro religioso, entre o Papa e o Patriarca russo, confere a este país um peso simbólico muito importante.