Edição 1014

  • Valdir e Luiz Batista: presos políticos em Goiás

    altO MST, pela primeira vez, foi enquadrado na Lei nº 12.850/2013, que tipifica as Organizações Criminosas.

  • Hiroshima e Nagasaki: por que?

    altComo numa guerra os vencedores nunca são condenados, a tragédia de Hiroshima e Nagasaki e o bombardeio inglês com bombas de fósforo que matou 60 mil em Dresden, cidade sem alvos militares, passaram em banco.

     

  • “Na crise, princípios éticos precisam orientar a construção de soluções técnicas”

    altO Brasil continua diante dos impasses políticos e econômicos, a aguardar as medidas de governo interino de Michel Temer. Enquanto atores do porte de Lula articulam saídas à crise, inclusive admitindo a discussão em torno de novas eleições, nada parece sair do papel. Ao mesmo tempo, paira um grande temor em setores da população a respeito da orientação conservadora das políticas do governo do PMDB. Para qualificar o debate em torno das questões  sociais, entrevistamos Guilherme Delgado, economista e pesquisador aposentado do IPEA.

     

  • Mensagem aberta ao senador Crivella

    altQuando foi candidato a governador, se cercou de Carlos Lessa, Samuel Pinheiro Guimarães, José Carlos de Assis e Darc Costa. Todos eles com posições opostas às que Temer está tomando. Não seria o caso de conversar com eles?

  • A Lava Jato e a narrativa do golpe

    altNão são tempos fáceis para prognósticos, mas está interessante ver figuras intocáveis pelo menos preocupadas. Ou alguém imaginaria Sarney revoltado do alto de sua “experiência”? O medo está mudando de lado e precisamos aproveitar essa virada.

  • Pequenas grandes razões para pensar em crise

    altA repressão da reflexão é apresentada como remédio, solução típica de uma classe dominante intolerante e ignorante. E o desenvolvimento de pensamento e linguagem próprios sobre a nossa formação histórica é novamente rechaçado.

     

  • Barbara G. Walker: o estupro nosso de cada dia

    altAo buscar o significado destas sensações no livro “A Velha - Mulher de idade, sabedoria e poder”,Walker revela o que existiu nas sociedades matriarcais. A autora, feminista, detalha fatos históricos.

     

  • Mais um condor é abatido

    altA pena do general Bignone é simbólica, mas o julgamento foi particularmente importante, pois pela primeira vez a existência da Operação Condor foi provada num tribunal.

     

  • No Prouni, pistas para compreender a crise do lulismo

    altNa pesquisa que desenvolvi no programa de pós-graduação em Ciência Política da USP, dois casos demonstram a situação da classe trabalhadora de São Paulo a partir do acesso ao ensino superior proporcionado pelo Prouni.

     

  • “Crise de abastecimento de água não está resolvida em São Paulo”

    altA crise do abastecimento de água em São Paulo ainda não está resolvida, ao contrário do que afirmaram o governador Geraldo Alckmin e a Sabesp. Se por um lado fomos salvos pelas chuvas que voltaram a dar as caras em São Paulo, por outro ainda corremos sérios riscos de um colapso no abastecimento. Para entender melhor o atual momento da questão da água em São Paulo, voltamos a conversar com Marzeni Pereira, tecnólogo pós-graduado em engenharia de saneamento que trabalhou por 23 anos na Sabesp.

     

  • Estupro geral

    altEstupra-se a nação quando se lhe impõe uma meta fiscal que amputa o orçamento da saúde e da educação, da cultura e dos programas sociais.

  • Temer não gosta da presidenta

    altA feminização de nomes de profissão, cargos, funções específicas etc., sobretudo de setores socioeconômicos e políticos, sempre tendeu a ser problemática, porque esses setores foram dominantemente masculinos, patriarcais.

     

  • A política dos direitos nos negócios da República

    altÉ proibido se aposentar

    É proibido ficar doente

    É proibido ter casa para morar

  • Machismo mata: precisamos falar sobre feminicídio

    altMuitas das formas hoje correntes de reação contra os direitos das mulheres e a igualdade de gênero, no campo político e no cotidiano, contribuem para a reprodução de um cenário no qual essa violência toma forma e é aceita.

  • Farsantes, golpistas e fariseus

    altAs votações do impeachment na Câmara e no Senado são desdobramentos da disputa política entre as facções do bloco político burguês hegemônico. Elas não foram exceção à regra, pelo contrário, confirmam a regra!

     

  • Proibidos de discutir o Brasil

    altA recessão econômica brasileira nos proíbe de discutir novas energias, novas tecnologias, um novo modelo econômico e nos força a assumir a qualquer preço o desenvolvimentismo (crescimentismo) de uma economia que se mostra inviável.