Edição 1016

  • Um encontro que pode ser histórico

    Ninguém pode acusar as centrais sindicais, as organizações populares, os partidos de esquerda de imobilismo. Todos têm, aliás, agendas bastante carregadas. Acontece que cada uma delas organiza a "sua" agenda e a cumpre isoladamente.
  • O PIB de 2006 e a manipulação da mídia

    Muita gente fala que o país precisa crescer no mínimo 5% ao ano, mas esta meta é factível, pode ser obtida de forma sustentada, respeitando o meio-ambiente e sem provocar um novo apagão? São questões relevantes que passam ao largo do debate que os jornalões apresentam aos seus leitores, tão entretidos que estão em provar que o PIB “do Lula” é menor do que “o de FHC”...

  • Leitura à distância

    Educação à distância foi, é, sempre será a leitura. Leitura no papiro, na tela do computador, diante da TV, teleitura, leitura ouvinte de quem ensina à distância, leitura que vê longe.

  • O Brasil precisa descobrir a Amazônia

    Segundo os bispos, “o mesmo governo que elabora o Plano Amazônia Sustentável financia e apóia as monoculturas intensivas e extensivas de grãos, de cana-de-açúcar e de eucalipto, incentiva mineradoras e siderúrgicas, e pouco ou nada faz para combater a grilagem, adequar e atualizar os índices de produtividade dos imóveis rurais e regularizar a posse da terra das populações tradicionais da Amazônia”.

  • O Correio

    O Correio da Cidadania é editado por uma sociedade sem fins lucrativos, a Sociedade para o Progresso da Comunicação Democrática, fundada em 1996, com o objetivo de colaborar com a construção da mídia democrática e independente. Há 17 anos, o Correio da Cidadania oferece visão crítica de acontecimentos políticos, econômicos e sociais, fazendo contraponto à uniformidade editorial da grande imprensa.

    Ao contrário das empresas jornalísticas, o Correio da Cidadania não vive do dinheiro dos anunciantes e seus interesses econômicos. A versão eletrônica do Correio, como se vê, é gratuita. E não se pretende cobrar por este acesso. Pelo contrário, entendemos que ele é fundamental para que cada vez mais um número maior de pessoas tenha acesso ao conteúdo do Correio da Cidadania.

    A Sociedade para o Progresso da Comunicação Democrática e o Correio da Cidadania precisam, entretanto, do apoio daqueles que concordam que é necessário prosseguir nesta missão.

    Caso se interesse por saber como ser um colaborador, clique aqui.

    Gratos,
    Equipe do Correio da Cidadania.