0
0
0
s2sdefault
BrasilA crise global exige juízo das autoridades. Porém, com usinas atômicas, lei de florestas, transposições, agrocombustíveis etc., não há por que esperar juízo de quem nos governa. Por Roberto Malvezzi.
0
0
0
s2sdefault
brmapaestrelapt.jpgSe o governo federal não pensar o Nordeste como um todo, quem pensará? Os políticos estaduais e municipais que não enxergam nada além de sua paróquia?
0
0
0
s2sdefault

Chaminés

A “facilitação” da exploração pelo relaxamento das leis ambientais e da fiscalização dos órgãos licenciadores não são soluções. Precisamos de um plano nacional digno do nome para o curtíssimo, médio e longo prazo. Por Marcelo Pompêo.

0
0
0
s2sdefault
{curveimage} O Correio publica entrevista de Michel Blanco com o índio Paulo Paiakan, que ressalta os riscos representados à terra Kaiapó pela construção da BR 163 e da usina de Belo Monte.
0
0
0
s2sdefault
Planeta TerraA Mãe Terra nos quer transmitir uma mensagem: "apesar de todas as agressões que sofro, ainda assim tenho energia vital escondida. Apenas dêem-me, por piedade filial, um pouco de tempo para descansar”. Artigo de Leonardo Boff.
0
0
0
s2sdefault
SecaEntre uma obra com finalidade econômica e um conjunto de outras para saciarem a sede humana, o governo estaria obrigado por lei a priorizar as obras do "Atlas do Nordeste" da Agência Nacional de Águas. Por Marina dos Santos, Roberto Malvezzi e Temístocles Marcelos.
0
0
0
s2sdefault

semterraseca.jpgÉ bom Geddel saber o quanto antes que não existe mais saída honrosa para os governos federal e estadual. O mal menor é arquivar a transposição e a saída é implementar as obras da ASA e da ANA. Escrito por Roberto Malvezzi.

0
0
0
s2sdefault

O reconhecimento da água como “direito fundamental da pessoa humana” continua embargado pelo governo, certamente atendendo a pedidos dos setores privados interessados no negócio da água.

0
0
0
s2sdefault
cerebroplug.jpgSe James Lovelock estiver certo, a geração presente, principalmente quem a comanda, não passa de um bando de loucos irresponsáveis, cegos guiando cegos para as bordas do precipício. O que estaria vindo por aí seria uma hecatombe jamais conhecida pela humanidade. Por Roberto Malvezzi.
0
0
0
s2sdefault
Aquecimento globalDiante da crise civilizatória que afeta o mundo, particularmente a ecológica, a Igreja Católica ainda deve à humanidade um documento específico sobre a questão. Artigo de Roberto Malvezzi.
0
0
0
s2sdefault
balancahomemfolha.jpg “Desplazados” indica uma fuga sem retorno, sem direção, sem fixação. Adaptação, numa situação como essa, é mero eufemismo. Para os “desplazados ambientais”, só nascendo de novo.