Crítica ao programa de governo de Doria do PSDB

0
0
0
s2sdefault

Resultado de imagem para doria
Escrevo nas linhas abaixo minhas críticas ao programa de Doria para o governo de São Paulo. O candidato do PSDB – o partido que governa o estado há mais de 20 anos – repete propostas e não traz novidades. Este texto vai apontar cinco problemas do programa de Doria:

1) Slogan sem nada de novo

O slogan Acelera São Paulo, usado em 2016, voltou agora em 2018. Mas na cidade de São Paulo esse acelerar do Doria, ao invés de significar direitos sociais, somente atropelou a população com aumento da velocidade das marginais e a venda de patrimônios públicos.

O que na verdade Doria acelerou foram suas inúmeras viagens e sua carreira como político tanto na tentativa de se viabilizar como candidato a presidente quanto no abandono da prefeitura para ser candidato ao governo. Se em 2016 o slogan tinha alguma força, hoje demonstra o quanto Doria não representa nada de novo para o estado de São Paulo.

2) Programa pela metade

Seu programa é um texto geral sem propostas concretas, sem prazos e sem fontes de recursos. Dizendo de outra maneira seu programa não demonstra uma viabilidade necessária em um programa de governo. Em 2016, Doria se colocou como gestor, mas seu programa é uma prova concreta de um planejamento mal feito, sem uma visão estratégica e um horizonte de melhoria para a população.

A impressão para os leitores é de um trabalho feito pela metade (assim como a prefeitura) e sem objetividade, que é justamente o que se espera de uma gestão eficiente.

3) Polícia de qualidade? Onde?

Na sua posição de tentar ao mesmo tempo defender a gestão dos tucanos e se colocar como uma possibilidade de mudança, João Doria afirma em seu projeto que “as nossas polícias são instituições reconhecidamente de qualidade”. De onde o candidato tirou esta informação? Os policiais são da classe trabalhadora e trabalham em péssimas condições com alto índice de suicídios - 26 casos no ano de 2017.

Mas não é deles que estamos falando. Estamos nos referindo à instituição polícia que hoje é o braço hostil da política tucana que trata a população pobre, negra e periférica como inimiga. Esta instituição que segundo o Doria é de reconhecida qualidade agiu com excesso em 74% das 940 mortes das quais foi responsável.

4) Promessa de mais encarceramento eleva a hostilidade como forma de gestão

Ainda nesta área Doria diz que vai ampliar os presídios. Ou seja, vai acelerar que mais pessoas pobres sejam encarceradas. Atualmente temos 30% de presos provisórios, sem julgamento e, portanto, sem condenação. O PSDB está há mais de 20 anos no governo, mas nossa polícia civil foi desmontada e hoje temos apenas uma delegacia da mulher e a promessa do Doria é por mais presídios?

5) Renovação de promessa não cumpridas e promessas sem detalhamentos

O exemplo são as promessas na saúde. Além do corujão que destinou recursos para grandes empresas e não resolveu o problema das filas, agora o candidato que abandonou a prefeitura escreve, sem nenhuma especificidade ou detalhes, sobre a telemedicina. A telemedicina, que já está sendo incorporada em setores do SUS no Brasil, corre dois perigos ao virar promessa sem profundidade na boca do tucano – ser usada para substituir serviços ou para precarizar o trabalhador da saúde.


Paulo Spina é membro do Fórum Popular de Saúde de São Paulo.

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados