Moradores de rua ameaçados de despejo violento no centro de São Paulo

0
0
0
s2sdefault

 

 

Conforme o Coletivo Autônomo dos Trabalhadores Sociais, que reúne assistentes sociais que prestam ou prestaram serviço à prefeitura de São Paulo, tem denunciado, a prefeitura pediu a reintegração das comunidades autônomas do Povo de Rua do Cimento e da Alcântara. A do Cimento (no viaduto Bresser) está marcada para acontecer no dia 15 de maio, às seis da manhã.



Sem alternativas concretas de moradia, a prefeitura de São Paulo procura tirar na violência as famílias da comunidade autônoma do Cimento, cujo nome se deve ao depósito localizado às margens da Radial Leste onde os trens despejavam carregamentos do material.

 

Neste vídeo, podem ser vistos os depoimentos de Padre Júlio Lancellotti, da Pastoral do Povo de Rua, e do senhor Geraldo, um dos tantos ocupantes de moradias precárias do assentamento urbano.

 

O coletivo tem se destacado por contestar as políticas assistenciais da prefeitura de Fernando Haddad e já teve alguns de seus membros demitidos por conta de seu engajamento político.

 

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados