MovimentosCom muita dificuldade, entidades conseguiram realizar um protesto que mostrou a possibilidade de resistência à agenda do capital.

brbandeiragrito.jpgFoi educativamente demonstrada a inutilidade para o povo brasileiro dessa corte conhecida como Senado Federal.

brnavioluneta.jpgPara o dia 24 de outubro, um conjunto de entidades que vem construindo uma agenda unitária de lutas prepara a realização de uma grande marcha a Brasília, com uma pauta unificada de reivindicações populares.
MSTDa demonstração de força e descontentamento mostrada pelo MST podemos concluir que, após a jornada do dia 23 de maio, o processo de alargamento da luta e da unidade entre diversos setores da classe trabalhadora e do movimento popular está cada vez mais na ordem do dia.
24 de outubroO próximo dia 24, em Brasília, é uma nova oportunidade para denunciar ampla e claramente ao país a sórdida unidade entre governo Lula e tucanos.
brbandeiragrito.jpgO governo FHC leiloou a Vale a preço de banana e com ela entregou o solo brasileiro e seus recursos minerais para os lucros do capital estrangeiro.
passeatapredios.jpgHá uma política dirigida para atacar as lideranças dos movimentos e os setores da classe trabalhadora que mais estão confrontando as mazelas de uma agenda profundamente anti-popular.
José SerraHá uma verdadeira agenda de pauladas, que tem como objetivo a imposição de um ajuste fiscal ainda mais rigoroso em São Paulo e um avanço no processo de privatização nos serviços públicos.

brcarroca.jpgDiante de institucionalidade tão falida, tão distante do povo, como o Senado, a luta por direitos do povo é também uma luta por verdadeiros mecanismos democráticos.

justicahomem.gifA solução “macro” que nos apresentam para este colapso é a repetição da cartilha neoliberal das privatizações, “apimentada” por uma decisão unânime em arrebentar com o direito de greve.
brmapacinema.jpgTudo indica que a gota d´água desse novo momento de crise no tráfego aéreo foi a perseguição e início das prisões dos líderes das associações e federações dos controladores, que pode ficar ainda pior agora que o próprio presidente deu a ordem de “prender os sabotadores”.
TrabalhadoresNão estamos diante de uma “regulamentação”, mas sim de uma tentativa de acabar com o direito de greve nos serviços públicos, e quebrar os sindicatos que os representam.