Desesperados em entregar suas promessas a banqueiros, representantes públicos nunca mentiram tanto em nome das “contas públicas”.

O nível de desinformação sobre energia elétrica de grande parte das pessoas é de deixar qualquer um chocado.

Os vínculos do PT com o capital são profundos e orgânicos. O lulismo está bem mais perto dos golpistas e do grande capital que dos trabalhadores.

A verdade é que o raciocínio do nosso economista neoliberal simplesmente confunde causa e efeito.

2017 foi prodígio em desconstruir mitos em relação à empresa. Agora, sua direção neoliberal suspende pesquisa de opinião entre funcionários.

Exportações crescem, mas com não elaborados. “Tradings” lucram cada vez mais — sem gerar empregos, preservar a natureza ou pagar impostos.

Desmonte do INPI e fim dos mecanismos legais que impunham um mínimo de transferência de tecnológica das grandes corporações.

Sem considerar o desequilíbrio da macroeconomia, vemos uma avaliação sempre otimista e parcial de surtos cada vez menores de recuperação.

Não é necessário muito esforço para perceber o movimento ensaiado entre o Ministro-Banqueiro e a agência que rebaixou a nota brasileira.

De 2015 a 2017, o diesel americano dobrou sua participação, de 41% para 82% do total importado pelo Brasil.

Vamos à agenda. A prioridade dos entreguistas e dos agentes estrangeiros é proporcional aos benefícios da consecução de cada objetivo.