Correio da Cidadania

Imoralidade explícita

 

Qual a justificativa para isentar de licitação obras destinadas a cumprir as exigências da FIFA a fim de sediar o Campeonato Mundial de Futebol, aqui no Brasil?

 

Como foi anunciado, estas obras estão orçadas em 35 bilhões de reais. Os entendidos avaliam em muito mais.

 

Antes, porém, de responder à questão colocada no início, é preciso dizer que tais exigências são descabidas e prepotentes.

 

Não deveríamos aceitá-las. Nossos estádios e nossos aeroportos são mais do que suficientes para admitir todas as pessoas desejosas de assistir aos jogos. Um país com enormes carências sociais como o nosso não pode se dar o luxo de gastar bilhões para proporcionar conforto exagerado a turistas.

 

Vencida a preliminar vamos ao mérito: contrato de obra pública sem concorrência é sinônimo de propina. Se, com licitação e tudo, é difícil impedir a corrupção, imagine-se sem esse obstáculo...

 

A indústria dos “aditamentos” irá funcionar a pleno favor, como se acabou de ver no escândalo que derrubou o ministro dos Transportes e toda a plana maior do Ministério – um verdadeiro festival de propinas, em preparação às campanhas eleitorais de 2012.

 

Caberia ao Congresso, e na sua falta à Justiça, frustrar a bandalheira. Do Congresso não se pode esperar grande coisa, porque está completamente abastardado, incapaz de exercer suas funções devido ao atrelamento ao governo. Da Justiça também não há muito o que esperar, a menos que um promotor firme resolva tocar o processo.

 

O órgão específico para fiscalizar os contratos, o Tribunal de Contas da União, tornou-se uma repartição destinada a outorgar  o prêmio de consolação que os governos dão aos correligionários derrotados nas eleições, e não tomam a menor providência que possa prejudicar seus benfeitores.

 

Resta, portanto, apenas a sociedade civil entrar na parada e manifestar energicamente sua contrariedade para que o problema seja satisfatoriamente resolvido. Infelizmente, esta também anda anestesiada, incapaz de mobilizar-se e defender seus direitos.

 

Enquanto este for o seu estado de espírito, é rezar para que o Brasil não seja mais escolhido para sediar eventos internacionais importantes.

Comentários   

0 #3 Vamos reagir jáJason 29-07-2011 08:33
O comitê Popular da Copa e Olimpíadas convoca para manifestação neste sábado durante o sorteio da Copa na Marina da Glória com concentração as 10h no Largo do Machado. Participe!
Citar
0 #2 RE: Imoralidade explícitaItamar Santos 28-07-2011 08:51
Como indignação é muito valido, mas falta argumentos técnicos para corroborar essa indignação. Só dizer que há corrupção não vale mais pq todo mundo sabe e por isso já esta ficando banal e daqui a alguns dias a maioria achará normal. Infelizmente.
Citar
0 #1 RE: Imoralidade explícitaAna Clara 27-07-2011 15:47
Bom texto. Eu compartilho da indignação do senhor editor, porém discordo no que tange às exigências da FIFA. Por mais absurdas que elas possam ser, é preciso ter em mente que, uma vez aceita a tarefa de sediar o evento, estamos sujeitados ao órgão por ele responsável. É complicado, mas devíamos ter pensado nisso antes... Agora talvez seja tarde para reclamar - porém, talvez não seja tarde para renunciar. É a minha opinião.
Citar