Correio da Cidadania

Nova e grande injustiça contra os povos indígenas

 

 

Nós, brasileiros, temos dado um tratamento extremamente cruel aos irmãos indígenas de nosso país.

 

Isto vem de longa data e, em vez de melhorar, piora a cada dia que passa.

 

No século XVIII, os bandeirantes paulistas destruíram as missões jesuíticas do Guaíra, no sul do país, a fim de transportar para São Paulo, como escravos, os indígenas que ali viviam.

 

Desde então, fazendeiros têm expulsado os indígenas de suas terras ancestrais para estabelecer nelas suas enormes fazendas.

 

Na Constituinte, um grupo de parlamentares eticamente bem formados conseguiu colocar no texto constitucional a obrigação de demarcação dessas terras e sua restituição a esses povos pelo Poder Executivo.

 

Mas o Poder Executivo, para não se indispor com os grandes fazendeiros, não tem se empenhado na demarcação dessas terras.

 

O resultado dessa incúria é a extrema pobreza dos povos indígenas.

 

Urge criar um forte movimento de opinião pública para denunciar essa omissão, e exigir que sejam abertos os processos de demarcação que ainda não o foram, e que sejam terminados os que estão se arrastando pelos tribunais.

 

Isto não interessa apenas aos indígenas, mas a todo o povo brasileiro, pois os indígenas, nessas reservas, realizam um importantíssimo trabalho de conservação do meio ambiente.

 

Como se sabe, eles não apenas preservam as espécies naturais da flora e da fauna, como enriquecem a terra com as plantas comestíveis que semeiam nas trilhas dos animais, a fim de atraí-los para elas e, desse modo, caçá-los com mais facilidade.

 

Neste exato momento, o povo Guarani Kaiowá está sendo objeto de um ataque mortal por parte de jagunços a serviço dos ocupantes ilegítimos de suas terras. Tudo sob a complacência criminosa das polícias estaduais.

 

Ademais, a bancada ruralista está pressionando para que os parlamentares aprovem uma emenda constitucional que transfira para o Congresso a competência para a decretação das reservas. Se isto vier a acontecer, obviamente, jamais serão aprovadas novas reservas, pois, a bancada ruralista tem votos suficientes para bloquear qualquer iniciativa de decretação de reservas indígenas.

 

Pior: a emenda determina igualmente a revisão das reservas já decretadas.

 

Isto precisa ser denunciado e cessado imediatamente.

 

O respeito aos direitos dos mais fracos é o sinal mais importante do nível ético da população de um país.

 

Pelo visto, andamos muito mal nesse aspecto.