Correio da Cidadania

De rosto coberto ou descoberto

 

 

O ano de 2014 revela com crescente evidência o clima de angústia social que toma conta da população. A greve dos garis no Rio de Janeiro e a greve dos rodoviários de Porto Alegre, amplamente vitoriosas, são exemplos de movimentações sociais de maior repercussão, dentre várias e grandes manifestações de indignação país afora.

 

Tantas e tamanhas manifestações têm muitas vezes aflorado sob a forma de violência, na qual fechar as ruas e queimar ônibus já se tornam quase uma tradição. Violência fruto de sentimento de revolta de trabalhadores e populares, represados por longos anos, face às agressões históricas e diuturnas aos direitos sociais e humanos elementares – segurança, saúde, moradia, educação, alimentação, transporte etc.

 

No contexto de tal clima social, a Copa do Mundo, planejada para alavancar as eleições, torna-se catalisador de novas convulsões. Desde as massivas manifestações de 2013, questionando os inexistentes e ineficazes serviços públicos, a marketagem oficial percebera que não mais surtiria efeito o discurso concebido originalmente associando eleições e Copa.

 

Da retórica de vetor de melhoria das infraestruturas urbanas e sociais, o evento passou a ser utilizado como um ícone do nacionalismo, do país ‘ame-o ou deixe-o’ dos tempos da ditadura.

 

A crise de uma economia que patina, aguçada agora pelas trapalhadas no setor elétrico, acirra ainda mais a forte tensão social. A última falcatrua governamental envolve empréstimo de oito bilhões de reais, para socorrer distribuidoras privadas de energia que, segundo o engenheiro Ildo Sauer, alcançam a maior rentabilidade sobre o patrimônio líquido, ao lado das empresas do setor financeiro. Presente faraônico que será integralmente repassado às tarifas a partir de 2015, depois, portanto, das eleições, em um estelionato eleitoral inédito, pois anunciado prévia e publicamente.

 

As graves fissuras políticas, sociais e econômicas que varrem o país intensificam o leque repressivo que consolida o consenso autoritário. Consenso que se acelerou há 50 anos, quando do golpe militar que levou à construção do aparato militar, judiciário e civil repressivo, hoje em plena ação na democracia sem direitos nascida de uma transição sob o controle do grande capital nacional e internacional.

 

Diante dos sinais de instabilidade e expansão crescente das lutas sociais, em meio à sociedade com direitos sociais decrescentes para a esmagadora maioria da população, o Estado e seus governos preparam como resposta a repressão e a criminalização das lutas populares, através de um enorme aparato policial e jurídico, com o qual se pretende também garantir a sucesso da Copa do Mundo e os lucros da Fifa e associados.

 

Ademais, defrontamos modelo de política econômica e social orientada pelo grande capital, surda aos direitos da população, que se nega à real distribuição de renda e ao ataque à raiz da desigualdade e da segregação social. A subordinação do orçamento da União à remuneração milionária do capital financeiro pelos juros da dívida torna-se compromisso sagrado dos governantes de turno, que escorcha, há décadas, a nação e sua população.

 

De cara coberta ou descoberta, resta ao povo o caminho dos protestos, das mobilizações e da organização crescente, através de greves salariais massivas e das lutas nos bairros e ruas, espaços prioritários da decisão dos rumos do país.  

Comentários   

0 #2 isso aí.Luiz Ramirez 24-03-2014 11:05
Dentro dessa gigantesca farsa democrática que vivemos, a "senilidade" da história reside na defesa da livre manifestação, dentro de um país que nao satisfez até hoje uma única necessidade básica do conjunto de sua população. Tempos bicudos...
Mas a gente conhece essa turminha, em geral tão comendo na mão do ex-partido, e vez ou outra até vomitam um certo anticomunismo mal disfarçado. Claro, sem deixar de usurpar a capa socialista, que as mídias realmente senis conferem à legendinha de mercado que esse grupo se tornou. Por essas e outras que certa esquerda quer mais é que tenhamos essa midiazona aí pra fazer debate...
Citar
0 #1 de rosto coberto e descobertoAna Maria 20-03-2014 15:18
oi!

Em geral, repito, em geral, até o momento, as suas reportagens, ou melhor, a sua visão, NÃO AJUDAM NADA sobre uma Realidade muito maior que vai do "local, nacional e, principalmente, do global... Sinto, e muito, até as últimas "declarações" do seu "fundador", Plínio de Arruda Sampaio, parece que esta´"doente"... "senil!
Eu conheço o Plínio desde minha juventude... Porém, a maioria de Vocês, me parece, apenas oportunistas... Pouco, ou quase NADA contribuem com o conceito de "cidadania" ... ou seja, QUE NÓS MULHERES E HOMENS possamos desenvolver nossa capacidade de "crítica e discernimento"...Me parece, além de superficiais, que a maioria está completamente "dominado" pelas Regras e Normas do Capitalismo Norte Americano e seus Associados...
Doí, e muito, viu!?!?

Boa Sorte! Ana

Ps. demorei para me manifestar, HOJE, foi a conta!!!
Citar