O bizarro julgamento do ouro venezuelano em corte inglesa reaviva fantasmas como o do pirata Francis Drake.

As escolhas das forças armadas sobre possíveis inimigos mostram o alto grau de dominação existente nas mentes dos seus planejadores.

Reflexões pessoais num momento onde elites manifestam sociopatia em níveis assustadores.

Alguns juristas argumentam que as privatizações foram realizadas a preços vis. No entanto, não vejo processos na justiça.

E se a classe política tomasse o lugar dos médicos na hora de decidir quem tem acesso a respiradores?

Começamos a viver as consequências de ser governados por alguém que odeia o próprio povo.

Que a sociedade não precise ir ao fundo do poço para começar a inflexão que reverterá decisões recentes de destruição.