Lembrar do aquecimento global e defender mais privatização das reservas fósseis é um contrassenso. Ou melhor, é pura desonestidade.

Último relatório do IPCC confirma que a vida do “Senhor Carbono” é matematicamente insustentável.

Por trás da aparência de simplicidade da mensagem — o que assegurou sua eficácia — persiste uma ambiguidade importante.

A irracionalidade do capital não chega ao ponto de ser inteiramente autodestrutiva, e é esse o ponto em que quero chegar.