altDiante do extenuante impasse, em que não prosperará a paz ou a vitória total de um dos contendores, as duas superpotências podem vir a estabelecer nas conversas em Genebra uma trégua, materializada em cessar-fogo.

No fim das contas, a realidade invalida de modo constante o pleito brasileiro pelo Conselho de Segurança. O país não consegue enfileirar-se ao lado das grandes potências em termos econômicos, culturais ou militares.

 

altO Egito começaria a aproximar-se de Washington ao passo que a Síria de Moscou.O distanciamento atingiria o ápice daquela década, quando da formação de uma aliança sírio-iraquiana para se opor às tratativas de Camp David, entre norte-americanos, egípcios e israelenses. O fim dos anos 70 chegaria com quatro líderes na região.

altFranceses e britânicos tiveram de chegar a um entendimento sobre a retirada mútua de tropas do território sírio. Antes mesmo da completa efetivação da saída, a Síria pediu auxílio aos EUA, com o fito de treinar suas próprias tropas.

altEmbora resignados com o malogro militar no Iraque e Afeganistão, os EUA indicam a Síria como o possível ponto de maior reversão de seus infortúnios políticos no Oriente Médio As negociações em Genebra são importantes para a diplomacia norte-americana.

altNa prática, a discordância brasileira com o comportamento norte-americano não irá além do retórico. O protesto teve como alvo imediato o público interno, em função do processo sucessório de 2014, não o aliado externo.

altNa visão da Casa Branca, três países durante a década de 60 estiveram mais próximos do Kremlin: Egito, Síria e Iraque. Os ânimos acirrar-se-iam mais ainda depois da Guerra dos Seis Dias, em junho de 1967.

altNos dias atuais, ante a impossibilidade de alterar imediatamente o regime político de Teerã, Washington lançou os dados em desfavor de Damasco na esperança de avançar no intrincado jogo de xadrez político daquela região.

altAntes mesmo do encerramento da Guerra Fria, na virada da década de 80, a Síria precisou a contragosto reposicionar-se no intricado tabuleiro de xadrez médio-oriental, em decorrência da abrupta alteração política de seu mais importante aliado naquele momento.

Com o relativo distanciamento dos norte-americanos das questões libanesas, os sírios aspiraram a exercer uma influência política maior no Oriente Médio, ao definir sua área de influência ideal: Líbano e Jordânia.

altDurante a Crise de Suez, momento em que tropas israelo-franco-britânicas invadiram o Egito, Damasco apoiou o Cairo, ao chegar até a bloquear o uso de oleoduto vindo do Iraque.

altSem sombra de dúvida, não se pode aguardar que o país possa no curto prazo fazer frente ao modo de supervisão de dados digitais dos Estados Unidos. Todavia, a sociedade não pode aceitar o atual ritmo governamental com vistas ao aprimoramento tecnológico.