Correio da Cidadania

altPor que Cunha permanece presidente da Câmara, embora acusado, com provas, de delitos gravíssimos? Por que a grande mídia noticia tão pouco e distorce o que acontece na Operação Zelotes, a qual envolve sonegação de impostos de R$ 600 bilhões?

 

altTem feito parte dessa cascata de consequências deletérias do modelo, implantado desde 1954, debilitar as Forças Armadas, abaixar a qualidade cultural, o grau de identificação das pessoas com a nação, o nível da educação em todos os graus e, finalmente, o êxodo, por falta de oportunidades de trabalho, de residentes qualificados.

 

altCada vez mais, está tomando lugar a opinião difundida por grupos de pensadores que identificam a necessidade de se discutir, de maneira ampla, formas de diminuir (e de estancar) o crescimento, tanto de empresas quanto de economias mundiais.

altFinalmente, depois de tanto desmentir, o governo federal admitiu uma verdade que lhe é incômoda: a hidrelétrica de Belo Monte, a quarta maior do mundo, que já está em fase final de construção para começar a produzir energia neste ano, não é viável economicamente.

altExistem conjunturas nacionais em que se deflagram processos sociais complexos. Um de seus sintomas é a radicalização das posições e do debate político em geral, assim como a simplificação de questões relevantes. Essas conjunturas, no entanto, não se explicam somente pelas disputas entre os grupos internos.

 

altAs saídas não emergem das discussões entre economistas monetaristas, autointitulados liberais, versus keynesianos. Desemprego, aperto financeiro e dívida pública imensa, em contraste com a abundância de recursos naturais e de gente querendo trabalhar e progredir na vida. Há que tratar da produção e da finança em conjunto.

altÉ necessário garantir a propriedade do petróleo brasileiro e ficar com seu valor de uso. Agregar valor ao petróleo, na produção de derivados, petroquímicos e fertilizantes. Distribuir a riqueza, atender as necessidades dos brasileiros e erguer a infraestrutura para a produção das energias renováveis.

 

altEm meio ao jogo sujo, está sendo decidido o futuro do país. A Petrobrás, com os impostos que paga, financia cerca de 80% das obras do PAC. Nesse momento, milhões de trabalhadores estão com seus empregos ameaçados. Vários estaleiros estão fechando as portas e empresas responsáveis por grandes obras parando seus serviços e demitindo.

altQuando se noticia o crescimento negativo do PIB de 3,8 % deveria estar claro que o poder aquisitivo da classe média e dos mais pobres que esta caiu muitíssimo mais que do que 3,8 % ao ano, à taxa do conjunto da economia. De fato, tem peso cada vez maior o setor financeiro, em que avultam os grandes bancos , além dos cartéis transnacionais e demais rentistas.

 

altPara discutir mais esse tema repleto de informações pela metade, entrevistamos Denise Gentil, economista que acabou de concluir doutorado sobre o que considera o falso déficit da Previdência. "Quando todas as receitas são computadas, obtém-se superávit de R$68 bilhões no ano de 2013, R$ 36 bi em 2014 e R$16 bi em 2015".

altMas, e a verdadeira solução? Delfim Netto não a pode apontar. Teorias sofisticadas, voltadas para conservar o império da oligarquia concentradora, como o keynesianismo, embora rotulado como progressista, são uma espécie de ópio de economistas, inclusive ditos de esquerda.

 

altGovernadores de dez estados reuniram-se em Brasília com o novo ministro da Fazenda, a respeito da iminente regulamentação da Lei que alterou o indexador das dívidas estaduais e municipais. “Os estados e municípios têm recebido repasses decrescentes devido ao ajuste fiscal. Em 2015 a situação agravou-se”.