altCriatividade e justiça dão o tom e o sentido do Levante Popular da Juventude e movimentos similares. O mote central que inspira essa forma de ação política é a omissão do Estado brasileiro em fazer justiça e revelar a verdade sobre os acontecimentos mais violentos da ditadura.

 

altAproximam-se as eleições e vem à tona a grande preocupação: um sufrágio límpido, transparente e no qual sejam escolhidos os melhores candidatos.

 

O desencanto provocou reminiscências perigosas. Saudades do período sombrio passam a freqüentar mentes doentias, abrindo espaço para os oportunistas. Urge a alteração no quadro político brasileiro, com o afastamento da política fisiológica, movida a interesses pessoais.

 

 

O aparelhamento judicial lentamente vem se equipando para atender à demanda crescente e decorrente dos conflitos coletivos e da ascensão da classe pobre aos pretórios.

altA situação dos direitos humanos no Brasil apresenta um quadro sombrio, inexistindo no país um regime de segurança. Há necessidade de enfrentar-se a problemática da violência, porém, sob o manto dos direitos humanos.

altNo aperfeiçoamento, defesa e efetiva realização dos direitos fundamentais, destaca-se a necessária sensibilidade dos órgãos competentes na aplicação do direito, com destaque maior para o direito à moradia, em detrimento da propriedade.

É necessário empenho para que, sem mais delongas, seja criminalizada a homofobia, diante da catástrofe que anuncia: a cada 36 horas, morre uma pessoa que ousou expressar sua orientação sexual.

ditadura.jpgA sociedade permanece inquieta e apreensiva, enquanto não se responsabilizam aqueles que mancharam as instituições a que pertenciam e que tinham, por tarefa, resguardar a segurança de seus membros e não eliminá-los.

altAdvogar a diminuição da idade, para efeito de responsabilização, não significará, em hipótese alguma, resolver a questão da violência.

 

altEstamos na fase de escolha, pela presidente Dilma, dos sete membros que integrarão a Comissão de Verdade. Se tudo caminhar bem, com o funcionamento da Comissão teremos mais um espaço público e oficial para iluminar a violência silenciada.

A busca da criminalização de toda atividade provinda de setores da comunidade que, ao largo dos anos, foram totalmente marginalizados vai ao encontro de nossa cultura.

caraacara.jpgSe iniciativas do MP, nessas duas décadas, concretizaram os enunciados constitucionais, por outro lado suscitaram raivosas reações daqueles que jamais foram incomodados pelo sistema criminal.