O receio de que o PSOL reedite a ascensão e queda do PT é, talvez, a discussão mais importante para nós neste final de ano e de década.

Precisamos compreender que não venceremos o inimigo lutando em suas trincheiras, todas minadas, sem uma forte preparação.

Em entrevista ao Correio da Cidadania, Boulos elenca suas prioridades e fala da necessidade de ampliar a participação popular nos processos cotidianos de decisão.

Boca de urna, campanha nos cultos e mobilização de voluntários seriam algumas das estratégias para emplacar candidatos.

Crise de hegemonia política segue inaproveitada pela esquerda e burguesia avança no seu marketing progressista.

Marinalva Oliveira, professora da UFRJ e ex-presidente da Associação Nacional dos Docentes de Ensino Superior, analisa as eleições à luz da crise do país e perspectivas para os trabalhadores.