O pior dos erros de avaliação pré-impeachment é ver que eles ainda perduram no PT e nas esquerdas.

É tragicômico ver ideólogos das classes dominantes se tornarem opositores contundentes de Bolsonaro.

Os 25 anos do Plano Real e seus entraves ao desenvolvimento na economia financeirizada e desindustrializada.

Queda nas condições de vida já são visíveis, mas esquerda erra ao achar que governo ruirá naturalmente.

Pode estar sendo aberta a caça por novos tipos de isenção ou atropelos aos direitos constitucionais pétreos de militantes.

Economistas parecem precaver-se da responsabilidade dos resultados das políticas implementadas por seu representante no governo.

Urge compreender que a derrota de 2018 não foi só eleitoral, mas das estratégias políticas da esquerda, em especial do PT.

Alguns dados sobre a desigualdade chilena e a réplica de seu modelo econômico no Brasil avisam o que está por vir.

Talvez seja possível considerar que algumas figuras de alto coturno se dedicaram a um estudo mais intenso do famoso general chinês.

Crescimento do PIB só será possível com a disseminação de empresas estatais e privadas pelos mais diversos setores da economia.